Resenha ~ Clube do Livro dos Homens

Olá pessoa! Preciso admitir que esse livro era para ser lido no futuro, mas sério acordei no meio da madruga, vi um unboxing da edição e a fala “li a amostra em me apaixonei” pronto, foi o bastante para ir para o kindle ler essa história. 

Vamos acompanhando a narrativa em terceira pessoa, onde vamos acompanhando o ponto de vista ora de Gavin Scott, um astro do beisebol, devotado ao esporte, ora de sua possível futura ex, Thea e em alguns momentos de um personagem que ao longo da narrativa ganhou meu coração, Benedict - Conde de Latford. 

No auge de sua carreira, ele descobre um segredo humilhante: a esposa, Thea, sempre fingiu ter prazer na cama. Magoado, Gavin para de falar com ela e acaba piorando o relacionamento, que já vinha se deteriorando. Quando Thea pede o divórcio, ele percebe que o orgulho e o medo podem fazê-lo perder tudo. 

A primeira regra do clube do livro é: não fale sobre o clube do livro” 

A escrita da autora é extremamente fluida e cativante, eu gostei muito do modo como a autora estruturou todo o texto e as descrições são na medida para uma imersão na história de um jeito leve e divertido, mas ao mesmo tempo emocionante. Afinal, as risadas em alto e bom som fizeram parte de toda leitura e a emoção foi também marcante em algumas cenas. Afinal, se você entendeu a referência a primeira regra do clube, tem tudo para entender porque só por ela a premissa dessa história é maravilhosa.

Desesperado, Gavin encontra ajuda onde menos espera: um clube secreto de romances, composto por alguns dos seus colegas de time. Para salvar seu casamento, eles recorrem à leitura de uma sensual trama de época, cortejando a condessa.

"Esse sou eu. E sou uma pessoa melhor do que antes. Não por causa dos livros, mas porque os livros me ajudaram a ver as coisas de um jeito diferente."

A medida que vamos lendo, vamos conhecendo os personagens são interessantes, bem desenvolvidos com cada um seu estilo próprio, que vão te ganhando ao longo da história. Os homens em especial são conquistadores além de belos estão numa empreitada de aprendizado não apenas para “falarem” a mesma língua das mulheres, mas para serem pessoas melhores, me vi encantada com cada um deles e as mulheres tiveram minha empatia e claro solidariedade. Sério, até mesmo o conde me conquistou de uma forma, que acabei o livro com a ideia de dois mocinhos ao invés de um e não lendo duas histórias em separado (mesmo que sejam, eu amei ler) e assim começou minha torcida por ambos os casais.

As gêmeas, filha do casal Gavin-Thea roubam a cena e mostram como a atitude e decisão dos adultos afetam as crianças. Thea e sua irmã sofrem com o divórcio dos pais e ela teme que as filhas passem pelo mesmo trauma, então quando Gavin tenta uma reconciliação, a partir do apoio do clube, ela acaba cedendo e assim começa o processo de amadurecimento de ambos não apenas como um casal, mas também pessoas. As cenas sensuais na história são partes da história, e não apenas uma maneira de ganhar páginas do livro ou apimentar a trama. Eu gostei delas por serem de extremo bom gosto.

"Nós somos a soma das nossas experiências, que também definem nossas ações. Assim como nos romances. Tudo pelo que o personagem passou antes do início do livro vai determinar como ele reage às coisas que acontecem durante o livro."

Fica também uma linda argumentação sobre o poder da leitura e que mesmo um romance é sim capaz de ensinar enquanto entretém. Eu amei as tiradas e a forma assertiva da autora em colocar essas questões na história. E essa busca pelo amadurecimento ensina dentre outras coisas que somos o fruto do nosso passado, então não podemos querer que nosso presente seja bem resolvido com sérias pendências em nossa vida. E que sentar em cima do problema seja por qualquer motivo, não faz com que ele deixe de existir.

Então, vamos vendo que vai ser preciso muito mais do que palavras floreadas e gestos grandiosos para que Gavin recupere a confiança da esposa e aqui vemos nos diálogos um show à parte da história; eu amei o modo como a autora escreveu cada um, porque são sim, muito reais e criveis no modo como a história se desenrola, eu creio que exista continuação dessa história, porque um ponto não ficou resolvido e alguns personagens secundários ficam com finais em aberto. Sério, vou torcer para que tenha pois é uma leitura que eu já quero fazer.

A edição que li, como adiantei no início do texto foi em e-book mas adoraria ter lido a edição física, principalmente por ter me apaixonado pela capa e pela história. Adorei a tradução e mesmo nos momentos que senti que a “piada” foi abrasileirada não achei forçado. A revisão foi bem-feita sem que eu tenha notado nenhum erro de grafia ou digitação.


Nota 🍀🍀🍀🍀🍀
Boa leitura e divirta-se,
Gostou? Clique para adquirir : Físico ou em e-book


Sobre o Livro ~ Informações Técnicas

Clube do livro dos homens

Autora: Lisa Kay Adams
Título original: The Bromance Book Club
Páginas: 320
Ano de edição: 2009 
Tradução: Regiane Winarski 
Editora Arqueiro

A primeira regra do clube do livro é: não fale sobre o clube do livro
Gavin Scott é um astro do beisebol, devotado ao esporte. No auge de sua carreira, ele descobre um segredo humilhante: a esposa, Thea, sempre fingiu ter prazer na cama. Magoado, Gavin para de falar com ela e acaba piorando o relacionamento, que já vinha se deteriorando. Quando Thea pede o divórcio, ele percebe que o orgulho e o medo podem fazê-lo perder tudo.

Bem-vindos ao Clube do Livro dos Homens
Desesperado, Gavin encontra ajuda onde menos espera: um clube secreto de romances, composto por alguns dos seus colegas de time. Para salvar seu casamento, eles recorrem à leitura de uma sensual trama de época, Cortejando a condessa. Só que vai ser preciso muito mais do que palavras floreadas e gestos grandiosos para que Gavin recupere a confiança da esposa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário