Resenha - Megan

As irmãs Calhouns #04

Resenha dos outros livros:  Lilah #02 || Suzanna #03

Oi pessoal, a gente sempre gosta de saber o que aconteceu com determinado personagem secundário que aparece nos livros e a Nora nunca é de deixar um personagem voando em suas histórias. Sendo assim, temos na série As Calhoun, este quarto livro com a história da irmã do Sloan que apareceu no segundo livro e tem uma ligação especial com a família que aconteceu de maneira trágica. De quebra, temos também um final para a querida tia Coco, afinal ela também merece.

O tempo passou e neste livro a pousada já está em funcionamento, as irmãs tiveram filhos, ou seja, a vida prosseguiu e temos aquele andamento da história dos personagens que ficaram para trás. É neste contexto que a Megan O’Riley retorna para Bar Habor, agora para morar e trabalhar como contadora da pousada As Torres e também do negócio que o marido da Suzanna abriu com o seu antigo amigo que também retornou para a ilha.

“Ela não era do tipo que gostava de correr riscos. Sempre procurava se certificar para dar um passo depois do outro. Fazia parte de sua personalidade – ou ao menos era assim nos últimos dez anos. Disciplinara-se para ser prática e cautelosa. Megan O’Riley era o tipo de mulher que sempre verificava duas vezes se a casa estava trancada antes de dormir.”





Megan é uma mulher guerreira, que contou com o apoio de seus pais para ter seu filho solteira e fazer a faculdade. Ela se tornou contadora e por coincidência ou destino, seu irmão se casou com a irmã da ex-mulher do homem que lhe enganou. Durante muitos anos ela teve raiva da Suzanna, até que quando finalmente teve que lhe conhecer, todos os mal-entendidos foram desfeitos e para a sua alegria seu filho fez amizade com seus dois meios irmãos. Com isso, sua mudança era um recomeço. Ela só não contava com o seu passado lhe assombrando.

“ – Não sou da sua família – disse Megan suavemente. – Pense melhor! Você enfiou o pé em águas Calhoun, garota. E nós somos como areia movediça. Você é uma Calhaun agora, está presa.”

Nathaniel Fury voltou a cidade que não foi necessariamente um lar para ele, mas montar um negócio com Holt e conviver com as Calhoun foi um salto na sua vida para ele se assentar. Está tudo indo bem, até que Megan chega com seu filho. Ele nunca poderia imaginar que uma mulher e uma criança pudessem vir a mexer tanto com o seu coração e sabia que mais coisas iriam mudar, afinal, ele sempre foi em busca do que queria e agora não seria diferente.

 “ – Estou simplificando – ele corrigiu. – Não há nada mais simples do que uma caminhada à luz da lua. – Você não espera que as coisas terminem nisso. – Não. Mas estamos nos movendo no seu ritmo, Meg. – Nate levou as mãos dela aos lábios e beijou-a distraidamente quando eles começaram a subir em direção aos penhascos. – Parece que preciso estar perto de você. Isso é o mais incrível. Não consigo me livrar dessa sensação, então pensei: por que tentar? Por que não apenas deixar acontecer?”

Teremos então mais uma emocionante história com um novo mistério a ser desvendado. Uma história linda que nos mostra que todos merecemos um recomeço e principalmente ser feliz. E por incrível que pareça, neste livro a Nora nos agracia com um epílogo bem especial , por encerrar esta série de maneira tão especial.
Boa leitura,


Nota: 


Sobre o Livro ~ Informações Técnicas


Megan
As Irmãs Calhouns #04
Título original: Megan's mate
Páginas: 388
Ano de edição: 2010
Tradução: Ana Rodrigues
Editora: Harlequin Books Brasil

Sinopse
Megan O'Riley não poderia ser mais grata. Ela e seu filho haviam sido aceitos pelas Calhoun e recebido a oportunidade de construir uma vida nova. Faltava apenas deixar para trás o passado que tanto a envergonhava, abraçar o presente e se tornar mais confiante no futuro. Afinal, ainda que seus dias agora fossem embalados por uma nova melodia, Megan ainda se sentia insegura para se despir de sua couraça profissional e deixar sair do casulo a mulher adormecida havia tantos anos por conta de um amor traiçoeiro... e do amargo fim de uma ilusão.

Um comentário: