Resenha ~ O Abrigo


Oi pessoal, quando recebi este livro, O Abrigo, de presente de uma amiga fui nas nuvens. Confesso ter lido com bastante expectativa, principalmente por causa dos últimos lançamentos pela Editora Bertrand, todos numa vibe Criminal Minds. Outro ponto a ser destacado é que apesar dela ainda seguir alguns padrões próprios de sua escrita em seus mais de 30 anos como autora, nos últimos livros o foco das histórias tem sido mais os dramas/suspense que o romance em si entre os casais, o que às vezes me faz falta, já que amo seus romances “fofos”.

Apesar da expectativa, também estava bastante ansiosa com esta leitura, pois o último livro dela Ao Por do Sol lançado pela Bertrand me deixou com o coração na mão, chorei muito. Mas depois que comecei, não consegui largar até que eu terminei. A história já começa nos colando em meio a uma chacina no shopping, que infelizmente é comum nos Estados Unidos, jovens dando à louca e matando pessoas. Temos então a apresentação de vários personagens, onde alguns realmente terão destaque ao longo da história que gira em torno dos sobreviventes e da pessoa que realmente orquestrou o massacre.

Temos então Simone Knox, uma das sobreviventes ao tiroteio, que após muitas etapas na sua vida para se auto encontrar pessoal e profissionalmente, tornou-se uma artista plástica de esculturas e depois de adulta voltou para morar em Tranquility Island. Porém o trágico dia que viveu, ainda não tinha sido plenamente superado, apenas ignorado. Até que o “destino” como sua avó tanto acredita, trás tudo a tona, pois ainda não havia tido um ponto final.

“- A tragédia não necessariamente nos muda. Quase sempre, eu acho, ela só traz à tona mais do somos, ou fomos, desde o começo.”

Reed Quartermaine também foi um dos jovens que sobreviveu a tragédia e foi um herói naquela noite. Aquele dia foi tão marcante para ele, que mudou seu futuro, após uma conversa como a policial que atendeu o chamado de socorro e chegou primeiro ao local. Ele então decidiu que também se tornaria um policial, que iria defender vidas e tentar se possível entender o que motivou o ataque. Até que vários assassinatos, o leva a se questionar se o que aconteceu havia realmente tido um fim. Quando em determinado momento ele entra em uma encruzilhada e precisa fazer novamente uma decisão sobre o seu futuro.

“Hora de se afastar, decidiu ele, e seguir o conselho de Tinette. Ele precisava caminhar ao sol e lembrar-se do que fora e por quê.”

O livro é divido em duas partes, a história é bem densa e até dramática, porém a Nora sempre tem em sua escrita aquele personagem que traz leveza a trama e aqueles pontos no texto que nos faz rir. Ao contrário do que muitas resenhas disseram, eu não achei o final corrido, a questão é que para mostrar justamente o desequilíbrio da pessoa que está cometendo os crimes, a história tem que ocorrer mais rapidamente, porém não há furos ou personagens sem final.

Mas infelizmente preciso dizer que ouve um erro terrível de edição, faltou uma parte de determinado parágrafo fundamental no final da história, que fez com que, quem não está habituado a ler a Nora principalmente, fique no vácuo em relação ao final de um certo personagem, o que levou a muitas pessoas a não gostarem do final da história. Como fiquei sabendo disso?? Recebi o trecho do livro em inglês. Pedimos então a editora, que encarecidamente haja uma segunda edição com este erro corrigido. Quem for ler e quiser receber este trecho, nos pergunte que eu falo.

Mesmo com esta parte faltando, eu deduzi corretamente o que ocorreu, e isto acabou que não me atrapalhou na história. Sendo assim, pra mim foi uma história 5 estrelas. Quero destacar que a publicação do livro está excelente, desconsiderando o erro citado acima, amei a capa e é livro único.
Boa leitura,


Nota: 


Sobre o Livro ~ Informações Técnicas


O Abrigo
Título original: Shelter in Place
Páginas: 462
Ano de edição: 2018
Tradução: Valéria Lamim
Editora: Bertrand Brasil

Sinopse
Era uma típica noite de sexta-feira em um shopping nos arredores de Portland, Maine, em 2005, quando três adolescentes fortemente armados começaram a atirar, matando e ferindo muitas pessoas antes de serem contidos. Anos mais tarde, dois dos sobreviventes, considerados os jovens heróis da tragédia, estão dando continuidade a suas vidas. Ela, seguindo os passos da avó, encontra na escultura uma maneira de expor as emoções. Ele, inspirado pela primeira policial a chegar ao local do tiroteio, torna-se detetive. A morte misteriosa de alguns dos demais sobreviventes do massacre parece indicar que um conspirador está à espreita. Incertos de quem será o próximo alvo, aqueles que conseguiram a duras penas reconstruir a própria história precisarão encontrar um no outro o abrigo necessário para sepultar o passado de uma vez por todas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário