Resenha - Coração Rebelde (Corações Irlandeses #3)


Trilogia Corações Irlandeses #03

Olá, vou falar neste post do terceiro livro da trilogia dos Corações Irlandeses, Coração Rebelde. Esta é uma história sobre a segunda geração, então mesmo que você não tenha lido os livros anteriores, não têm problema ler esta resenha, afinal, todos sabem que num romance da Nora teremos finais felizes, a surpresa esta na trama da história e seu desenrolar. Agora quanto à leitura dos livros, estas devem ser feitas na ordem, a não ser que você se interesse por ler apenas uma das três histórias. 

Vale destacar que nesta trilogia a Nora aborda duas paixões em sua vida, os cavalos e as corridas, ela é frequentadora destas competições e o livro retrata estas paixões em detalhes de maneira bem envolvente no enredo da história.

Brian Donnely é um jovem irlandês treinador de cavalos de corrida e veio para os Estados Unidos a convite de Travis Grant para ser funcionário na Royal Meadows, ele não tinha muitas expectativas, mas após conhecer a fazenda e os cavalos, ele simplesmente se apaixonou pelo lugar e viu ali uma oportunidade de ouro para crescer. Sua dificuldade seria apenas se manter longe da princesa da fazenda a srta. Keely, filha mais velha de Travis, linda além da conta, mas na sua visão mimada e esnobe, ao contrário do restante da família. Mas ele tem um dom para com os cavalos e ama além da medida.

“– Quer dizer que você é uma encrenqueira, não é? – Ladeando a cabeça de Betty com as mãos, Brian a fitou nos olhos. Um arrepio quente e breve lhe percorreu o corpo ante o que vislumbrou. Ante o que pressentiu. Havia magia ali, pronta para fascinar, se ao menos ele conseguisse encontrar o feitiço certo. – Acontece que eu gosto das encrenqueiras”.

Keely Grant é uma linda jovem que teve todos os privilégios na vida, mas foi ensinada a dar valor a eles. Ela assim como na família toda tem uma verdadeira paixão pelos cavalos e achou seu lugar e sua profissão ao criar uma escola de equitação onde ela utiliza cavalos resgatados de maus tratos e dá bolsa de aulas para criança que também sofrem de maus tratos. Ela só não contava não ir com a cara do novo funcionário de seu pai, muito lindo, convencido e grosso, um esnobe as avessas.

“– Sou compulsiva. Vou atrás dos meus objetivos. Vejo algo que quero e, bem, é como se eu tivesse antolhos e estivesse na reta final. Tudo o que enxergo é a linha de chegada”.

Esta história nos mostra como criar pré-conceito das pessoas e dos lugares antes de verdadeiramente conhece-los é prejudicial. Brian é um jovem que enxerga em si apenas suas qualidades profissionais e se acha um vira lata social perto da Keely. Ele terá que rever seus próprios conceitos e quem sabe, aprender a criar raízes em um lugar. Já a Keely é uma garota de atitudes, ela descobre o que deseja e corre atrás para consegui-lo. Os dois vão se bater de frente até perceber que o real problema é o desejo que sentem um pelo outro.

“As pessoas podem se enganar olhando para uma coisa, para o seu rosto, para o seu corpo, julgando-a sem saber o que há por dentro”.

Esta é um lindo romance que conclui muito bem a trilogia. Um livro pequeno como os outros, com uma história simples, mas bem significativa. Um romance para te relaxar e que você conseguirá ler em poucas horas. 
Boa Leitura.
Nota: 

Resenha das outras histórias: Almas em chamas #01 |  Mistério de uma flor #02



Sobre o Livro ~ Informações Técnicas

Coração Rebelde
Trilogia Corações Irlandeses
Título original: Irish Rebel 
Páginas: 288
Ano de edição: 2014
Tradução: Maurício Araripe
Editora: Harlequin Books


Sinopse
Ela era uma verdadeira princesa, filha de uma família de posses e herdeira de uma das mais importantes dinastias de criadores de cavalos. Mas ele não passava de um treinador. 
Apesar da distância social que os separava, Brian Donnelly agora estava na América, e por isso era livre para desejar tudo, inclusive possuir a estonteante Keeley Grant. 
A riqueza e a posição dela não eram suficientes para intimidar Brian… Mas a inocência de Keeley poderia amansar a rebeldia de um coração irlandês e também torná-lo dócil por toda a vida…

Nenhum comentário:

Postar um comentário