Protegido pelo Porto ♣ Resenha

Trilogia da Gratidão #03

Ainda faltam arestas para acertar enquanto os três homens que se uniram num momento de necessidade, a fim de honrar o último desejo do pai, agora se adaptam ao novo projeto, a empresa de embarcações Quinn.
Na história anterior vimos a vida agora de casado de Cam e Anna, como a nova dinâmica afeta positivamente a vida de todos e em especial de Seth. O primeiro amor de Seth foi Grace, claro de maneira inocente e suas reações quanto ao relacionamento dela com Ethan foi o mais difícil para ambos aceitarem. Agora ele possui duas figuras maternas e uma “irmã” e nada poderia estar mais perfeito.
De todos os 4 irmãos Quinn, Phillip ainda continua tentando se adaptar e lutando pra manter suas “duas vidas” afinal seu trabalho é na cidade e a empresa de embarcações requer cada vez mais tempo. E o passado ainda cobra seu preço no presente enquanto a questão da paternidade de Seth não estar definida e sua mãe ainda ser uma ameaça a felicidade da família.

“Que lugar lindo! Um porto seguro para almas atribuladas, para menininhos que simplesmente precisavam de uma chance para se tornarem homens. Talvez ela não pudesse agradecer a Ray e Stella Quinn pelo que eles haviam feito, mas poderia mostrar sua gratidão. ”

Phillip Quinn trabalha com Marketing, ele sabe tudo sobre vender a imagem perfeita pra que o produto seja um sucesso. E de certo modo ele foi o primeiro produto que fez a imagem ser perfeita. Uma carreira bem-sucedida, um apartamento no lado certo da cidade, um gosto excelente pra comida e vinhos, escondem um menino que teve sua vida iniciada e finalizada na ruas. E por causa disso ele fica determinado a cumprir sua promessa no leito de morte do pai, o pai de sua segunda vida;

“Achava que tinha feito um bom trabalho. Revestira o menino de rua com uma camada de classe. ”

Para mim não chegou a ser exatamente uma surpresa a história antes do Quinn de Phillip, mas a maneira como ele encara tudo aquilo é realmente surpreendente. A maneira como ele fala num primeiro momento parece até orgulhosa das coisas que ele fez, talvez porque diferente dos irmãos, ele mesmo tenha escolhido de certo modo o que fazer. Diferente de Cam, não foi o ódio, o combustível que o movia. Era única e exclusivamente a sobrevivência, diferente de Ethan ele optou por fazer o que acreditava ser preciso fazer para ter mais um pouco de tudo que ele podia obter nas ruas. Mas de modo diferente de ambos ele usou as armas de sua vida interior como ferramentas para se construir novamente, ser alguém que nunca revelaria aquele menino que teve sua segunda; outro fator é que a graça e elegância dele esconde um humor próprio e bastante charmoso. Além de uma vontade de aço, uma combinação que nele ficou muito charmosa e sexy. 
A chegada da Doutora Sibill Griffin, uma cientista antropóloga, socióloga e Psicóloga que alega estar fazendo pesquisas na pequena St. Christopher para seu novo livro, mas o verdadeiro objetivo de suas observações são os Quinn. O mistério do porque ela tem tanto interesse neles, é logo revelado. Porém Phillip intrigado, pelo fato dela ser tão reservada e distante. Ele está determinado a desvendar as suas verdadeiras intenções, afinal ele sabe tudo sobre criar uma imagem que não é necessariamente verdadeira.

“Ela ainda não sorria para ele daquele jeito, reparou Phillip. Sem pensar, sem refletir”

Essa foi uma das personagens que menos me convenceram na série, fria de mais, controlada demais, inteligente demais. Entendem?? Tudo de mais e ações de menos para comprovar aquilo que ela diz ser ou é; Além do mais ela foi se revelando uma farsa pra mim e tudo nela começou a me irritar bastante. Acho que tudo que explica a doutora “Sibill” é freudiano demais para o meu gosto num romance em que ela tem um Phillip como opção.

“ É que você mal me conhece – disse e pegou o vinho, um gesto puramente defensivo. – Existe uma diferença entre se sentir atraído por alguém e gostar desse alguém. Para gostar é preciso mais tempo de convivência. ”

Se a questão toda é essa, nós vamos conhecendo ela a medida que Phil vai revelando seus segredos e posso dizer, não gostei. Mas a proporção que desgostava dela, gostava ainda mais de Phil (risos). Esse é o momento que digo, espero que você leia e tire suas próprias conclusões. Porque os finais de cada personagem nesse livro merecem ser lidos. O mistério da ligação de Rei e Seth é revelado e não deixa nada a desejar nas expectativas, porque afinal faz todo sentido!
Sláinte,

Sobre o Livro ~ Informações Técnicas

Protegido pelo Porto
Trilogia da gratidão #03
Baía de Chesapeake
Título original: Inner Harbor
Páginas: 350
Ano de edição: 2006
Tradução: Renato Motta
ISBN-13: 9788528611755
ISBN-10: 8528611752
Editora: Bertrand Brasil
Nota: 

Phillip Quinn fez de tudo para sua vida parecer perfeita. Com uma carreira bem-sucedida e um apartamento com vista para o mar, em Baltimore, sua vida nas ruas ficara definitivamente para trás. Entretanto, bastou olhar para Seth, e Phillip recordou o menino que ele próprio fora no passado. 

Phillip pretendia cumprir a promessa que fizera ao pai em seu leito de morte, razão pela qual considerava Seth como uma obrigação. Jamais imaginara que pudesse vir a amar o menino. Em pouco tempo, sua promessa ao pai deixou de ser apenas uma obrigação. E o futuro de Seth como membro da família Quinn parecia assegurado... até que uma estranha chega à cidade. Ela alegou estar fazendo pesquisas na pequena St. Christopher para seu novo livro, mas o verdadeiro objetivo de suas observações são os Quinn. Reservada e distante, ela deixa Phillip intrigado. Ele está determinado a desvendar as suas verdadeiras intenções, mas ela esconde um segredo que tem força o bastante para ameaçar a vida que os irmãos haviam preparado para Seth. Um segredo que pode separar a família... para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário