Resenha ~ Laços de Fogo


Trilogia da Fraternidade #01

Como esse foi meu primeiro livro da Nora ele tem todo um apelo emocional para mim. Leia essa resenha, eu quero te contar sobre uma linda história...
“— São coisas lindas que você vê em sua cabeça. — É fácil vê-las lá. – Deu-lhe um sorriso. – O difícil é torná-las reais.”

Como Apreciador, Colecionador e dono de galerias de arte ele vê os sentimentos e o coração em suas peças de vidro.... Não é por ter sido o livro que me abriu as portas do "Noras World" (Mundo Nora Roberts), mas por ser um romance que a paixão não está apenas na cama. Nesse livro pela primeira vez eu vi um amor intenso e quase religioso pela arte, pelo talento e pela criação e não apenas pela artista. 

Uma admiração profunda pelo talento de criar e uma reverência a criação pelo trabalho e talento empregado para ser criado. Vi em Margo alguém que valia por si mesma e o casamento não era uma necessidade e sim uma impossibilidade. Quando surgi Rogan na história eu vejo um casal forjado no fogo, porém o material com que essa mistura seria feita foi uma pergunta a ser respondida pelas páginas que me prenderam a primeira vez, e que me faz voltar a elas sempre que sinto falta desse cantinho na Irlanda que arrebatou meu coração como leitora e em muito pouco tempo como fan da Nora.

Nora faz uma homenagem a sua origem apresentando a Irlanda de várias formas ao ler, tanto sobre o ponto de vista de quem vive lá, de quem viaja o mundo e volta para casa e de alguém que vai a Irlanda por uma segunda vez;

Nascida no fogo de uma paixão tão arrebatadora e repentina que se consumiu, extinguiu e apagou com a mesma velocidade. Nascida deste fogo Nora, nos apresenta uma mulher que domina a arte milenar de transformar Areia, soda, cal, Silicato de alumínio, dolomita. Um pouco de arsênico e sopro no mais puro vidro.

Mas em meio a uma linda descrição da profissão e o primeiro sucesso vem a tragédia. A passagem no tempo é delicada mas mostra o crescimento nascido da dor de forma sutil. E também as marcas que cada traço de nossa vida deixam em nós.

Rogan Sweeney, entra na história para abalar a estrutura da vida de Maggie. Além de sua arte arrebatará também seu coração.
“— Sonhos, Rogan, sonhos maravilhosos.”

Mas nem tudo são flores o relacionamento deles e deliciosamente conturbado e as lembranças dos projetos em busca de sucesso e riqueza do pai de Maggie rendem boas gargalhadas. Contudo a amargura, ressentimento e frieza da mãe de Maggie e Brie escurece toda a beleza quando surge a tona na história. Fazendo quem que ela tenha que lutar contra as sombras do passado, sua triste lembrança do casamento do pais e a infelicidade que seguiu.

A busca de nossa Maggie por si mesma em meio aos acontecimentos de sua vida é linda e inspiradora. Não há como não suar com ela em seus fornos de fundição do vidro, aplaudir suas criações e torcer para que seus medos e traumas não a impeçam de ser feliz!!
"— Fui feliz sozinha – ela disse mansamente. – E fui infeliz sem você. Nunca desejei depender de ninguém ou me deixar envolver tanto, a ponto de me sentir infeliz. Mas dependo de você, Rogan. Suavemente, estendeu a mão para tocar o rosto dele. - E amo você."
Slainte! Divirta-se!
Nota: 

Resenha dos próximos livros  Laços de Gelo #02 || Laços de Pecado #03



Sobre o Livro ~ Informações Técnicas

Laços de Fogo
Trilogia da Fraternidade
Título Original: Born In Fire
Número de Páginas: 322
Ano: 2008
Tradução:
Editora: Bertrand Brasil
Mulheres modernas, belíssimas e à procura de uma grande paixão. É o que têm em comum as protagonistas da Trilogia da fraternidade Maggie, Brianna e Shannon. Composta pelos volumes, Laços de fogo, Laços de gelo e Laços de pecado, o primeiro, Laços de fogo, chega às livrarias em setembro de 2008. O cenário? Irlanda, país de origem dos ancestrais de Nora Roberts. 
A decisão da autora de retratar esta trilogia em sua “terra progenitora” foi imediata ao momento em que pela primeira vez caminhava pelas ruas do país. Inspiração foi o que não faltou a Nora Roberts naquela década de 1990. Ao pisar as terras irlandesas com a família, decidiu que retrataria uma família de mulheres fortes, impetuosas e modernas. Como se não bastasse, Margaret Mary Concannon, a irmã mais velha, ainda é artista. 
Dona de um espírito libertário, Maggie é especialista na arte em vidro. Seus trabalhos transmitem mais que beleza, são reflexos de sua essência, de sua natureza feminina. Mas a vida de Maggie sofre uma turbulência que abala a rotina de seu trabalho. Surge um homem em sua vida, o marchand Rogan Sweeney, que a ajuda a construir uma sólida carreira e a apresenta ao sucesso. Paixão arrebatadora em vista, especialidade de Nora Roberts. E isso é apenas o começo desta saga familiar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário